sexta-feira, 25 de maio de 2018

A festa do aniversario de Irauçuba não para




Hoje é dia de pedalar 🚲🚲🚲 e de agradecer a Deus🙌🙌🙌.

⏰ 16h - saída da Praça do Palácio Verde - passeio ciclístico pelo Centro da ciadde;


⏰ 19h - Missa em ação de graças na igreja Matriz.

Participe...
E amanhã tem mais...

Deputado José Guimarães mostra em tribuna os desmandos do governo Temer


O líder da oposição na Câmara, deputado José Lula Guimarães (PT-CE), alertou na tribuna nesta quarta-feira (23) sobre a ameaça real de paralisação do País, em decorrência da greve dos caminhoneiros. “O que nós estamos vendo é que o Brasil vai paralisar. E o governo que colocou o País em uma crise desta proporção não faz nada. É como se não estivesse acontecendo nada lá fora! As rodovias interditadas, os caminhões paralisando tudo, uma crise total de abastecimento e ninguém do governo fala nada”, criticou.
O deputado enfatizou que “a tal reunião no Palácio do Planalto fracassou. Não trouxe solução nenhuma”. Ele cobrou ainda alguma manifestação da base aliada de Michel Temer. “Eu não vi ninguém do governo subir à tribuna para dar sequer uma palavra. Inclusive, deveriam relatar o resultado da reunião que tiveram com o presidente Temer, que não produziu nenhum acordo. A reunião terminou fracassada”, reforçou.
José Lula Guimarães citou que até a noite de quarta-feira (23) quatro aeroportos que não tinham combustível para funcionar a partir de hoje. As centrais de abastecimento estão ficando sem produto para disponibilizar para a população e as federações das indústrias do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná dizem que, se o governo não tomar providência, haverá um caos no abastecimento da população a partir de amanhã.
“Esse é o governo que foi produzido com o golpe parlamentar. O governo que prometeu resolver o problema da crise econômica colocando o Meirelles. Que se comprometeu a resolver a estabilidade política, a fazer investimentos. E qual é o resultado disso tudo? É o País em frangalhos, uma greve de grandes proporções”, lamentou.
E o que é mais absurdo, segundo Guimarães, é que aqueles paneleiros que foram às ruas, que foram à Avenida Paulista – “alguns, inclusive, estão aqui no plenário”, estão vendo tudo isso e não movem uma palha. “É o silêncio, como se nada estivesse acontecendo no País”, reforçou.
O deputado afirmou que o governo Temer está “de cócoras para o mundo e de cócoras perante o Brasil”, e não tem mais condição nenhuma de continuar governando. “A tal estabilidade política, a tal maioria que existia aqui na Câmara não existe, e nós só estamos votando alguns projetos aqui porque a Oposição está colaborando com o País, em função do acordo que fizemos para retirar da pauta a privatização da Eletrobras”.
Guimarães concluiu constatando que o Brasil está quebrado “e está quebrado porque esse governo, que não tem legitimidade, está patrocinando a maior política de arrocho dos últimos tempos”.

Prefeito Ueliton Vasconcelos comemora aniversario de Groaíras com momento civico


A Prefeitura Municipal de Groaíras, com o apoio das Secretarias e da Câmara Municipal, realizou na manhã de quarta-feira, dia 23 de maio, o Momento Cívico em solenidade especialmente preparada em comemoração aos 61 anos de emancipação política da nossa cidade.

Vice-prefeito de Apuiarés é preso na 2ª fase da Operação Malabares


O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio da Promotoria de Justiça de Apuiarés e Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (Procap), executou nos dias 23 e 24 de maio, a segunda fase da Operação Malabares que investiga o crime de falsificação de documento público, dentre outras irregularidades, envolvendo a Administração Pública, servidores e empresários.
Foram presos Antonio Abdias Ferreira de Abreu, atual vice-prefeito de Apuiarés, e Rodrigo Carvalho Azin, advogado e o ex-procurador do município de Apuiarés. Maria Joselene Alves Castro, conhecida como “Lena”, foi afastada do cargo de assessora da Comissão de Licitação do Município. O juiz Caio Barroso, titular da Comarca de Apuiarés, expediu os mandados de prisão, busca e apreensão, que foram executados em Fortaleza e Apuiarés com o auxílio da Polícia Civil.
Foram apreendidos os aparelhos celulares dos investigados. Os suspeitos são ligados à empresa Patrol Engenharia e Serviços Ltda., já investigada na Operação Cascalho do Mar. Os três investigados foram citados pelos suspeitos presos em fases anteriores da Operação. Eles estariam envolvidos na fraude de documentos do Ministério Público Estadual, usando o timbre da instituição, para recomendar a aprovação de aditivos em contratos de coleta e limpeza urbana com a Prefeitura de Apuiarés.
O vice-prefeito municipal, no período de 180 dias em que exerceu o cargo de prefeito interino, prorrogou prazos com a empresa investigada, Patrol Engenharia. Segundo o promotor de Justiça Jairo Pequeno Neto que coordenou a operação, ao agir desta forma, o vice-prefeito praticou atos que infringiram ao seu dever funcional de zelar pelo erário.
Conforme as provas coletadas, os suspeitos associaram-se com fins específicos de cometer os seguintes crimes: falsificação de documento público, tráfico de influência, corrupção ativa e passiva, associação criminosa. Cerca de R$ 450 mil da Patrol já estão bloqueados pela Justiça em decorrência da investigação e os proprietários já respondem a processos por ato de improbidade administrativa, dois deles estão presos preventivamente, Marcus Vinícius e José Darlan Barreto, e a filha do último, Bruna Barreto está em prisão domiciliar.

Pontes anuncia agenda do PSDB com general Theophilo na Região do Cariri


Os dirigentes do PSDB realizam, neste sábado, 26, em Barbalha, a partir das 18 horas, no auditório do Imperial Palace Hotel, reunião com lideranças políticas municipais, vereadores, ex-prefeitos e prefeitos da Região do Cariri para apresentar o general Theophilo Gaspar (PSDB) como pré-candidato ao Governo do Estado.

O ex-senador e ex-prefeito da Executiva Regional do PSDB, Luiz Pontes, disse que, mesmo sem o PSD e SD, que aderiram à base do governador Camilo Santana, a oposição está animada com a corrida ao Governo do Estado. “Estamos entusiasmados. Vamos apresentar projetos e programas”, disse Luiz Pontes, que, em entrevista

Eunício Oliveira articula fim das paralisações dos caminhoneiros em todo país


O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), convocou os líderes partidários na noite dessa quinta-feira (24) e comunicou o acordo fechado entre o Executivo e os caminhoneiros para pôr fim ao bloqueio nas estradas do país. Eunício Oliveira foi ao Palácio do Planalto participar da reunião entre organizações da categoria e ministros do governo. A intenção era saber quais as reivindicações que poderiam ser assumidas pelo Senado.


“Nós apenas participamos com a chancela do Congresso Nacional, porque quem define preço não somos nós e sim o governo. Então, houve o entendimento, houve o acordo e, se Deus quiser, o Brasil volta à normalidade com esse termo de acordo que foi feito”, anunciou o presidente do Senado.


Ficou acertado que Eunício Oliveira vai pautar o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 121/2017, que cria a Política de Preços Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas para promover condições razoáveis aos fretes em todo o território nacional, mediante tabela elaborada semestralmente pelo órgão competente com valores por quilômetro rodado por eixo carregado e conforme a carga. O texto está em exame na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado e fez parte do entendimento que o líder do governo no Senado encabece um requerimento para levar a proposta ao exame do Plenário em regime de urgência.


“Não me comprometi com o mérito, mas com a pauta”, disse Eunício na expectativa que o projeto seja votado na próxima semana ou na terça-feira (5/6) após a apreciação das medidas provisórias que trancam a pauta.


Sobre o projeto aprovado na Câmara dos Deputados e enviado ao Senado, também na noite desta terça-feira, não foi determinado o prazo para votação da matéria. O PLC 52/2018, que trata da reoneração da folha de pagamento e isenta o óleo diesel das alíquotas de PIS/Cofins até 31 de dezembro de 2018, ainda vai ser negociado para que o governo encontre as fontes de recursos necessárias para cobrir o desfalque com a falta dessa receita.

“Ou vai fazer uma negociação de baixar, ou vai manter, ou buscar outra fonte em função dessa aqui. Ele pode ser alterado na negociação, que, inclusive, eu me comprometi, como presidente, fazer, dentro da Casa, alguns debates entre eles, os representantes dos caminhoneiros, e o próprio governo com o ministro Guardia”, afirmou Eunício.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Presidenciáveis se reúnem com prefeitos em Brasília



Durante a XXI Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios — evento conhecido como Marcha dos Prefeitos —, que serve para pressionar o governo central por demandas estaduais — três presidenciáveis estiveram em Brasília para debater o assunto e, claro, usar o evento como palanque. Até amanhã, mais cinco devem comparecer. Propostas de soluções ambientais, econômicas e projetos de combate à corrupção foram respondidas em tom eleitoral.

Marina Silva (Rede), Alvaro Dias (Podemos) e Ciro Gomes (PDT) discursaram aos prefeitos. Manuela D’Ávila foi convidada e confirmou presença, mas não compareceu. Ao saber da desistência de Temer na corrida pelo Planalto, Marina disse que “não dá para acreditar que quem criou os problemas de hoje poderá resolvê-los”, comentando sobre a candidatura de Henrique Meirelles (MDB).

Questionada sobre a saída de Temer da disputa eleitoral, Marina optou pela ironia. “Três por cento de popularidade, dentro da margem de erro, é possível que seja zero”, afirmou. Ela acredita que o fim da polarização entre esquerda e direita é uma saída para melhorar o cenário, e voltou a criticar a reforma política, que, em suas palavras, “foi encomendada”. A ex-ministra do Meio Ambiente também questiona os 10 segundos que terá para fazer campanha no horário eleitoral gratuito e compara seu orçamento de campanha com o dos grandes partidos, que deve ultrapassar
R$ 500 milhões.

O senador Alvaro Dias disse que os políticos têm de pedir desculpas à população pela desigualdade e pelo subdesenvolvimento do país. “O sistema é corrupto. Este sistema fracassou. Temos que pedir perdão ao povo brasileiro. Nós não fomos competentes para explorar de forma capaz as potencialidades deste país. Temos que pedir perdão ao Brasil pelo estágio de subdesenvolvimento em que nos encontramos”, afirmou o candidato à Presidência da República.

Em discurso duro, Ciro acusou o Ministério Público e o Poder Judiciário de ultrapassarem as suas atribuições democráticas e quererem governar o país no lugar de todo mundo. “Hoje, (com o) Congresso Nacional desmoralizado, o poder federal desmoralizado e a autoridade política desmoralizada, há uma invasão absolutamente intolerável, que tem de ser posta fim a ela, de atribuições democráticas por poderes que não são votados”, afirmou, dirigindo-se ao MP.

Não foram apenas os presidenciáveis que tentaram deixar boa impressão aos prefeitos. Pela manhã, o presidente Michel Temer participou da abertura e emplacou logo de cara a assinatura de um decreto que possibilitará as Unidades de Pronto Atendimento (Upas) atenderem como Unidades Básicas de Saúde (UBS). Temer anunciou ainda que R$ 600 milhões seriam pagos aos municípios para investimento em educação. O recurso faz parte dos R$ 2 bilhões aprovados este ano para atender a uma demanda firmada com as prefeituras em 2017.

O governo não quer ficar para trás dos concorrentes. A agenda positiva com as prefeituras foi tratada horas antes do anúncio de Henrique Meirelles, ex-ministro da Fazenda, como candidato do MDB. Tanto que Temer sinalizou discutir o reajuste dos valores de licitação, que permitirá os municípios resolverem questões burocráticas e realizarem compras em valores mais altos.



Com informação do Correio Braziliense

Greve dos caminhoneiros deixa alimentos mais caros no Ceará


A greve dos caminhoneiros brasileiros contra a alta nos preços dos combustíveis já começou a impactar os valores dos alimentos na Centrais de Abastecimento do Ceará (Ceasa). Se a paralisação continuar, gerando bloqueio nas rodovias, frutas e hortaliças vão ficar de 10% a 15% mais caras a partir desta quinta-feira. Nos supermercados, os aumentos para o consumidor final podem ultrapassar 20%.

Na Ceasa, a greve já é responsável por reduzir a oferta da batata-inglesa, produto que chega ao Ceará da Bahia, Minas Gerais e São Paulo. O quilo da mercadoria, que custava R$ 3,50 há três dias, já está sendo vendido por R$ 4, aumento de 14,2%.

Hoje, o consumidor começará a sentir aumento nos preços de outros itens, como cenoura, repolho, tomate, uva itália, melão japonês, abacaxi e laranja pera. Segundo o analista de mercado da Ceasa, Odálio Girão, muitos caminhões não estão conseguindo chegar à Ceasa. Se a paralisação continuar, hoje já vamos começar a sentir os impactos.

Prefeita cassada de Santana do Cariri terá que devolver R$ 1 milhão à União


A prefeita cassada de Santana do Cariri, Danieli Machado (PDT), parece ter o dom para motivar notícias ruins. Desta vez, a ex-gestora terá que devolver uma quantia superior a R$ 1 milhão (R$ 1.170.756,11) para a Fundação Nacional de Saúde (Funasa). O oficio foi encaminhado à Prefeitura de Santana do Cariri no dia 14, pela Superintendência do órgão no Ceará.


Danieli teve as prestações de contas relativas a convênio (TC/PZC 0249/2009), para construção de um Sistema de Abastecimento de Água, desaprovados em parecer técnica e financeiro do órgão (nº 52/2018). A prefeita cassada tem um prazo de 30 dias para fazer o ressarcimento aos cofres da União, sob pena do município ficar inadimplente e ter processo encaminhado à Procuradoria Geral Federal.


De mal a pior


E os constantes escândalos causados pela gestão de Danieli, continuam causando fissuras na relação, já conturbada, com o candidato do PDT no município, o ex-vereador Vicente Brilhante. Na noite de terça-feira, 21, o cancelamento de uma caminhada, motivada pela pouca adesão popular, acabou causando uma discussão entre Danieli e Vicente.


O candidato pedetista quer o distanciamento da prefeita cassada por avaliar que sua presença prejudica a campanha. Danieli e família, pensam diferente e, na discussão, voltaram a dizer quem é, realmente, que manda. Vicente ameaçou deixar a campanha.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Em Irauçuba o trabalho não para


Convite para a grande final da 20° Copa 23 de Maio em Groaíras


Deputado José Guimarães: "Cartas a Lula"


Quatro paredes não são suficientes pra aprisionar seus ideais. Pelos 4 cantos do Ceará, desde os bancos das universidades ao calor do sertão a palavra de ordem é Lula livre!
Querido companheiro e amigo Lula,

É triste e doloroso ver que o tempo vai passando e a injustiça se prolongando.

Você é um símbolo inconteste da luta que o Partido dos Trabalhadores sempre travou contra as injustiças sociais.

Nesse momento de tanta desesperança, você é a ideia que floresce, anima, dá forças e consegue mobilizar milhões de brasileiros e brasileiras que acreditam em uma sociedade mais justa e menos desigual. Quatro paredes não são suficientes pra aprisionar seus ideais.

Estamos do lado de fora, em liberdade, mas presos a sua história, seu legado e aos seus pensamentos.

Tanto que pelos quatro cantos do Ceará, desde os bancos das universidades ao calor do sertão a palavra de ordem é uma só: Lula livre.

Não vamos baixar nossa guarda. Pelo contrário, nos sentimos fortes e firmes, com energia renovada, para defender suas ideias, a fim de que elas se tornem majoritárias em todos os cantos do Nordeste e do Brasil.

O Nordeste deve muito a você, meu querido companheiro, por isso jamais te abandonaremos.

Lula inocente.

Lula livre

Lula Presidente.

Camilo já tem a maior aliança da história do Cear


Parafraseando o desabafo do senador Tasso Jereissati (PSDB) durante o lançamento da pré-candidatura do general Guilherme Theophilo ao Governo do Ceará, a oposição nunca esteve tão só na história do Ceará.


Levantamento feito pelo O POVO, com base em informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), aponta que, se Camilo mantiver todos os partidos que já estão ao seu lado em seu registro de candidatura, quebrará, pela segunda vez consecutiva, o recorde de partidos coligados na disputa majoritária no Ceará.Com as tratativas feitas desde o ano passado, a base aliada do governador Camilo Santana (PT) tem engordado ao ponto de poder tornar a campanha de reeleição do petista ao Palácio da Abolição a maior aliança eleitoral na história recente do Estado.

O petista disputou o primeiro turno em 2014 com 18 partidos na aliança. O número já era o dobro do maior bloco conquistado por Cid Gomes (PDT), em 2006.

Dos 35 partidos registrados no Brasil, 24 estão no arco de aliança do governador. As últimas adesões foram oficializadas após as negociações envolvendo partidos que integravam a oposição no Ceará: MDB, PMB, PR, SD e PSD.



Com um bloco tão grande e inédito, o vice-líder do governo, deputado José Sarto (PDT), admite que pode haver problemas entre 10% e 15% dos municípios que apoiam o petista. As divergências de opositores locais que integram a base aliada exigirá de Camilo maturidade política para evitar rachas.

Por outro lado, o PDT, com objetivo de unir o grupo que se espreme por espaços internos, pleiteia a formação de um grande bloco para a disputa da eleição proporcional para deputado estadual e federal.

“Pelo que eu senti dos deputados, a tese que eles chamam de blocão é mais simpática à maioria porque iria pegar todos os partidos da base e fazer uma chapa grande, onde a possibilidade de (eleger) uma boa bancada seria mais realista”, explica o parlamentar.

A tese também é defendida pelo deputado estadual Danniel Oliveira (MDB), porta-voz do senador Eunício Oliveira (MDB) na Assembleia Legislativa. “Defendo blocão, igualdade. Se tiver todos iguais, somos iguais. Se tivermos separados, vamos ser diferentes e isso pode prejudicar aquilo que é mais importante para o Estado do Ceará que é a eleição majoritária que é quem nos defende lá fora”, explicitou.

A tese, no entanto, é rechaçada pelo partido do governador. O presidente estadual do PT, deputado Moisés Braz, adianta que “a tendência (da sigla) é sair em chapa pura na proporcional”. A decisão final, porém, será anunciada no encontro de tática eleitoral do PT realizada no mês de junho com filiados.

O deputado Júlio César (PPS) acredita que “as coligações se comportarão mediante potencial dos seus candidatos”. O PPS deve formalizar aliança proporcional com o PPL e PRTB para disputar em tom de igualdade com os nomes de maior potencial de voto e que são filiados ao PP e PDT.

“Quem pensava em fazer apenas um bloco, chamado blocão, acho que tem que repensar para dar oportunidade também aos políticos que hoje não detém mandato, mas querem disputar, ter oportunidade”, argumenta.

O PP, do deputado estadual Gony Arruda, vai “conversar com todos os partidos” e analisar a melhor estratégia.

O POVO